terça-feira, 18 de setembro de 2007

Hélder Madeira eleito 1º Presidente da Camara Municipl do Barreiro em 1976


Câmara Municipal do BarreiroHélder Madeira eleito 1º Presidente em 1976 “As pessoas deviam participar mais na vida local”


Helder Madeira, no dia 12 de Dezembro de 1976, faz, hoje, precisamente trinta anos, foi eleito Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, tendo sido o primeiro Presidente da autarquia, eleito em eleições livres e democráticas.“Tenho ideia, que as primeiras preocupações foram resolver problemas de falta de água, dos lixos urbanos, do saneamento, de colocação de passeios nas ruas, que não existiam” – recorda Hélder Madeira.


Helder Madeira, faz, hoje, precisamente trinta anos, foi eleito Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, tendo sido o primeiro Presidente da autarquia, eleito em eleições livres e democráticas.Numa breve conversa com Hélder Madeira, procurámos saber que recordações guarda desses tempos que, hoje, já se perdem na memória dos dias.Um dia que foi um marco histórico no país“Desse dia de há trinta anos, guardo recordações muito boas. O período que se vivia em Portugal era muito diferente. Vivia-se aquele ênfase do 25 de Abril, o querer fazer coisas.Foram umas eleições animadas. Foi uma Campanha Eleitoral interessante. Fomos eleitos, salvo erro, com 60% dos votos, nós, elegemos 6 vereadores. Foram eleitos 3 vereadores do Partido Socialista.Recordo com grande alegria esse dia, penso que foi para todos os barreirenses e para todos os portugueses, um dia que foi um marco histórico no nosso país.” – salienta Hélder Madeira, Presidente da Assembleia Municipal do Barreiro, que, em 1976, foi eleito pelo PCP, Presidente da Câmara Municipal do Barreiro.Uma terra carenciada praticamente de tudo“A partir desse dia começaram a fazer-se coisas muito bonitas, com muito sacrifício, com muitas dificuldades, mas, de facto, a fazer coisas muito bonitas, a transformar esta terra, que era uma terra carenciada praticamente de tudo.Acho que foi um tempo que é bom sempre recordar, um dia que devemos comemorar” – sublinhou Hélder Madeira.Esta data devia ser lembrada a toda a gente“Penso que a população está um pouco arredada e provavelmente, nem sabe que, hoje, se comemoram os 30 anos da realização das primeiras eleições Autárquicas.Este facto, esta data, devia ser lembrada a toda a gente, porque foi através do Poder Local, que Portugal, também, se desenvolveu, foi sedimentando muitas forças e foi a partir do Poder Local que a democracia, também, se consolidou, considero, que este dia é um marco, um dia que deu inicio a algo importante, que hoje se assinalam os 30 anos” – referiu o primeiro Presidente da Câmara, eleito após o 25 de Abril.Era maior o consenso entre as forças politicasComo era a relação entre as forças politicas nesse tempo, é semelhante ao que é hoje? –perguntámos.“Não. Penso que não, de maneira nenhuma. Havia algum confronto, no caso particular do Barreiro, mas, não existiam as fricções que há hoje, penso que, hoje, politizam-se mais as questões.Acho que se criam mais dificuldades a quem gere. Naquela altura, embora com algumas diferenças, a ideia que tenho, é que era maior, o consenso entre as forças politicas, para a resolução dos problemas” – salientou Hélder Madeira.Não existiam plantas com o traçado dos esgotosQuais foram as medidas prioritárias desenvolvidas no primeiro mandato autárquico?“Tenho ideia, que as primeiras preocupações foram resolver problemas de falta de água, dos lixos urbanos, do saneamento, de colocação de passeios nas ruas, que não existiam.Primeiro que se conseguisse saber por onde passava toda a rede de esgotos do Barreiro, só isso demorou uns anos, recordo que se colocava uma tinta nos esgotos, para se saber para onde os esgotos corriam, pois, nem havia uma noção para onde iam as águas dos esgotos. Não existiam plantas com o traçado dos esgotos.Era um pouco de tudo isso, os problemas do lixo, da falta de água nas casas, a rede de esgotos e, até, a falta de talhões nos cemitérios. Este foi um problema complicado em determinada altura.A falta de dinheiro, recordo que um dia, para mantermos os autocarros a funcionar, foi feito um plenário nos Penicheiros, e, com o dinheiro que cada um quis contribuir, nessa noite, conseguimos depois manter dois ou três dias os autocarros a funcionar, pagando as gasolina nos postos de abastecimento do Barreiro. Havia muita falta de dinheiro.” – salientou Hélder Madeira. As pessoas deviam participar mais na vida local“Acho que é importante que as pessoas continuem a acreditar no Poder Local, apesar das coisas, hoje, serem mais politizadas. Penso que devem continuar a acreditar no Poder Local.Continuem a ajudar os autarcas, continuem a pensar de uma forma positiva as coisas da sua terra, é, importante que participem, as pessoas deviam participar mais, indo às reuniões públicas da Câmara e da Assembleia Municipal, das Assembleias de Freguesia, ou da própria Junta de Freguesia.É isso, as pessoas deviam participar, fazendo-o de qualquer forma, dando o seu contributo para a construção da sua terra, neste caso, na construção do Barreiro, que ainda precisa de muita coisa para se tornar uma cidade maior, e, quando digo maior, digo-o na solidariedade, na amizade, porque, penso que isto é sempre possível, se cada um der o seu esforço, e, perder um bocadinho do seu egoísmo.” – referiu Hélder Madeira. Espírito barreirense é um espírito solidário“Acho que hoje, a sociedade portuguesa está a tornar-se demasiado egoísta, as pessoas olham muito só para dentro de si mesmas, e, penso que o Barreiro, não merece isso, porque o espírito barreirense é um espírito solidário.Penso que no Barreiro, há um caldo de culturas, pessoas que vieram de muitos lados, e, que, talvez, não tenham sentido e vivido bem o espírito barreirense.Considero que estamos sempre a tempo de nos unirmos, de unirmos esforços, porque todos podemos dar o nosso contributo para a transformação da sociedade e para a transformação do Barreiro.”- salientou a finalizar o primeiro Presidente da Câmara Municipal do Barreiro, eleito após o 25 de Abril, faz, hoje, precisamente 30 anos.Os primeiros eleitos na Câmara MunicipalNas primeiras eleições autárquicas no concelho do Barreiro, para a Câmara Municipal do Barreiro, foram eleitos nove vereadores : 6 do PC, 3 do PS.Jorge Fagundes, foi o candidato à Presidência da Câmara Municipal do Barreiro, pelo Partido Socialista.O PCP, então com a sigla FEPU – Frente Eleitoral Povo Unido, elegeu seis elementos : Helder Madeira, Carlos Maurício, Joaquim Matias; Joaquim Serralheiro, Matoso e José Batista (falecido).O PS elegeu três vereadores: Fernando Jorge Fagundes, Joaquim Nunes e Victor Hugo Nunes.
Rostos
12 - 12 - 2006

Sem comentários: