sexta-feira, 28 de setembro de 2007

O FUTEBOL FICOU MAIS POBRE - DESAPARECEU UM GENTLMAN


Óbito
Morreu Rodrigues Dias, treinador campeão do Sporting
O antigo treinador Rodrigues Dias, campeão nacional de futebol ao comando do Sporting na época de 1979/1980, morreu quinta-feira, aos 82 anos, disse hoje à Agência Lusa um familiar do técnico.
O técnico, que ao serviço dos «leões» venceu ainda a Taça de Portugal de 1977/78, orientou jogadores como Inácio, Jordão, Manuel Fernandes e Artur Correia, numa carreira em que também passou pelo Vitória Setúbal, Beira-Mar, Sintrense ou Varzim.

Na sua carreira o técnico dedicou-se igualmente aos escalões de formação e foi treinador das selecções «AA» e juniores.

Acompanhei como adepto uma parte da carreira deste Sr. do futebol. Homem afavel e que tinha sempre um sorriso maroto escondido por detras da sua serenidade.
Nunca mais vou esquecer na minha vida, a tarde em que o Sporting conquistou a Taça de Portugal de 1977/1978, e em que, nos adeptos festejamos correndo atras dos jogadores, e ele apenas quis segurar um pouco na taça, e perante a euforia geral, no Estadio Nacional, pediu: tenham calma, muita calma, tem Taça para todos...
Recordo esse jogo, tal como recordo um Jogo no Estadio Manuel de Melo no Barreiro, pois foi um dos últimos jogos em que pude ver o grande "Russo" Artur Correia, que tinha vindo do Benfica, mas que suava e honrava a camisola como poucos, e em que num lamaçal incrivel mostrou toda a sua raça de Campeão, e no banco estava lá esse Sr. Rodrigues Dias.
Na epoca queriam Treinadores espalhafatosos, que fossem feras no banco. Ele não, ele era a serenidade em pessoa.
Obrigado Gentleman...

2 comentários:

Anónimo disse...

É óptimo ler estas palavras sobre o nosso Pai.

Um abraço,
caro amigo.

Alexandre Dias

João Massapina disse...

Estimado Amigo

Embora longe no tempo, mas nunca tarde, desde já lhe apresento pessoalmente as minhas mais sentidas condolencias.

Na realidade eu pouco escrevi, sobre o muito que poderia ter escrito sobre o seu pai.

Sou Sportinguista de alma e coração, mas mais importante que tudo isso sei reconhecer onde existe um desportista, independente da sua cor clubistica, e realmente permita que lhe diga, mais uma vez, que ele era realmente um autentico Gentleman no trato.

Não quiz antes revelar, mas não posso agora resistir em o fazer, que nessa mesma tarde, no Estadio Nacional, ele foi o mais humilde vencedor que já conheci em toda a minha vida.

Quando comparo o seu comportamento simples, com a arrogancia de certas personalidades do nosso desporto, de que nem vale a pena citar nomes, pois os estaria a idolatrar, e não o merecem, só posso sentir tristeza, e cada vez mais me afastar de comparecer nos palcos desportivos.

Embora a distancia fisica me tenha no outro lado do oceano, queira entender que as boas recordações do passado permanecem ainda aqui, e se existe uma muito boa recordação, essa é sem duvida a de seu pai.

Queira aceitar os meus mais humildes cumprimentos pessoais, com os protestos da minha mais alta consideração e estima pessoal, sempre ao dispor,

José João Massapina Antunes da Silva