terça-feira, 9 de outubro de 2007

Melhore o ângulo do decote



Depois de uma gravidez, depois de emagrecer ou, simplesmente, se não está contente com o tamanho ou firmeza das suas mamas, saiba o que pode fazer para melhorar o ângulo do decote.

A mama da mulher é constituída, essencialmente, por tecido glandular, rodeado de tecido adiposo e conjuntivo. O tecido glandular, composto pelos ductos e pelos alvéolos, é responsável pela formação do leite.

O tecido conjuntivo tem a função de sustentação das estruturas internas, ou seja, é ele que impede a mama de ficar descaída. O tecido adiposo (gordura) preenche o seu interior, dando-lhe forma, volume e contorno.

Ao contrário de outras partes do corpo - como os glúteos ou os braços, por exemplo - as mamas não têm músculo. Assim, por mais ginástica que se faça, os exercícios não irão dar forma às mamas, nem aumentar ou diminuir o seu tamanho.

No entanto, trabalhar os músculos do peito (situados atrás das mamas) e os dorsais (ao lado) pode contribuir para uma boa sustentação, mantendo as seios firmes, evitando que fiquem descaídos.

Os exercícios físicos de braços são os principais amigos do peito. Fazer flexões, por exemplo, além de fortalecer os antebraços e os ombros, trabalha bastante a musculatura torácica.

Os exercícios com pesos nas mãos também ajudam a desenvolver os músculos peitorais e são, por isso, aconselhados a quem quer manter um peito firme e levantado.

Este tipo de exercícios pratica-se, sobretudo, nas aulas de ginástica localizada, que são idealizadas a pensar no corpo da mulher. Claro que não basta ir às aulas uma vez por outra.

E mesmo que exibir um belo decote não lhe pareça razão suficiente para uma hora de transpiração intensa, lembre-se que a actividade física beneficia todas as partes do corpo e, por isso, qualquer objectivo é bom desde que sirva como estímulo se tornar uma desportista assídua.

Cuidados na gravidez

Um dos primeiros sinais da gravidez sente-se nas mamas. Começam por ficar mais sensíveis, depois mais volumosas, depois mais pesadas e, por fim, podem provocar uma sensação de inchaço. Tudo para se prepararem para a amamentação.

Estas transformações merecem atenção e cuidado desde as primeiras semanas de gravidez até ao parto.

Após o banho é importante que aplique um creme hidratante diariamente, para evitar o aparecimento de estrias que poderão surgir quando deixar de amamentar e o leite secar.

Mas, atenção, nem todos os cremes são apropriados para a pele fina da zona do decote. Leia bem as indicações descritas nas embalagens ou aconselhe-se com o seu médico.

Prefira os cremes com vitamina E, por serem bastante hidratantes (geralmente recomendados para peles muito secas) e antioxidantes (atrasam o envelhecimento). Aplique o creme todos os dias através de massagens circulares, exercendo uma pressão suave.

Quanto mais hidratada estiver a pele, mais elasticidade terá, permitindo que a mama aumente de volume, sem «estalar», e que volte ao lugar sem deixar marcas. As massagens irão ajudar a reduzir o inchaço e a congestão. Pode realizá-las durante o banho morno, pois a água quente também tem efeitos descongestionantes.

Além da pele, também os mamilos podem precisar de alguma preparação durante a gravidez, a fim de evitar gretas e fissuras resultantes da amamentação. Alguns especialistas recomendam que, depois do banho, se esfregue os mamilos com uma toalha grossa seca, de forma que a pele ganhe mais resistência nessa zona.

No entanto, também há quem defenda que este procedimento não impede o aparecimento de gretas. Como em tantos outros assuntos, tudo depende da fisiologia de cada pessoa. Não deixe de conversar com o seu médico sobre a melhor forma de se preparar para a amamentação.

Se, mesmo assim, depois de amamentar, sentir que o seu peito ficou muito diferente - descaído ou vazio - pode sempre tentar a ajuda dos cremes.

Existem cremes refirmantes, para melhorar as estrias ou com efeito push-up, que podem ser utilizados também por quem, apesar de não ter dado de mamar, pretende melhorar a aparência do seu peito.

Cirurgia, sim ou não?

Se pretender uma solução mais imediata e duradoura pode optar pela cirurgia estética. A intervenção mais apropriada será a mamoplastia, de aumento ou de redução, conforme o desejo de cada mulher.

A mamoplastia de aumento é indicada quando as mamas são muito pequenas em relação ao corpo, no caso de uma das mamas ser diferente da outra ou depois de ter havido uma diminuição de tamanho, por emagrecimento ou após uma gravidez.

Existem várias técnicas para realizar esta operação, mas todas implicam a introdução de um implante.

A mamoplastia de redução consiste em retirar o excesso de tecido mamário e em modificar o seu contorno.

É aconselhada a quem se sentir desconfortável com o volume das suas mamas, a quem tenha dores das costas, nos ombros ou na região cervical devido ao peso exercido pelos seios.

Como qualquer intervenção cirúrgica, a mamoplastia deixará cicatrizes.

Esta é uma questão que deverá esclarecer bem com o cirurgião para que possa saber com o que poderá contar. Também como qualquer intervenção cirúrgica, a mamoplastia não está isenta de riscos. Seja por uma complicação inesperada, dificuldade na recuperação, problemas relacionados com a anestesia ou outras complicações.

Converse com o cirurgião e retire todas as dúvidas. Depois pese bem os prós e os contras.

Cuidados essenciais

- Utilize um sutiã adequado ao seu tamanho, nem muito apertado, nem muito largo;

- Faça exercícios que trabalhem os músculo do tórax, músculos dorsais e braços;

- Mantenha uma boa postura, sentada e em andamento, colocando sempre as costas direitas e os ombros para trás;

- Quando está a espalhar creme hidratante no corpo, não se esqueça de aplicá-lo também nas mamas;

- Evite engordar e emagrecer com frequência, além de não fazer bem à saúde em geral, é fatal para a firmeza das mamas.

Fonte: Pais & Filhos

Fotos: DR

1 comentário:

João Fazendas disse...

Caro João Massapina podia ler o site www.reifazdeconta.com e botar a boca no trombone a mais este escandalo que a imprensa abafa.

Bem haja!